Foco na prevenção de perdas nos supermercados cresce 32% em 4 anos

Cresce, a cada ano, o número de supermercados catarinenses e brasileiros que investem em ações de prevenção de perdas para melhoria do resultado geral das operações de lojas. A Associação Brasileira de Supermercados (Abras)  divulgou em Florianópolis durante o V Fórum de Prevenção de Perdas nos Supermercados e Varejo em Geral, as conclusões da 17ª Avaliação de Perdas nos Supermercados Brasileiros. Só de 2012 para 2016 saiu de 28% para 60% o número de empresas que possui uma área ou pessoa específica para cuidar de prevenção de perdas.

O estudo foi apresentado pelo Superintendente da Abras, Márcio Milan, e mostrou que Santa Catarina, apenas de só ter 1,2% do território nacional, prova ser um dos estados mais conectados com a prevenção de perdas. SC é o quinto estado brasileiro com maior número de empresas participantes na pesquisa da Abras.

Outro dado destacado por Milan, especificamente em SC, é de as empresas que desenvolvem o programa de rastreabilidade do alimento tem os melhores índices na prevenção de perdas. E Santa Catarina é um dos estados mais avançados do País na rastreabilidade, graças ao pioneirismo nacional como Programa de Rastreabilidade do Alimento (Rama) criado pela Acats, inclusive reconhecido pela FAO (ONU).

A avaliação nacional indica que os supermercados brasileiros registraram um índice de 2,10% de perdas em 2016, o que representa R$ 7,11 bilhões do faturamento bruto do setor e um aumento de 0,14% ponto percentual em relação a 2015. Dentre as principais causas de perdas registradas em 2016 pelas 339 redes supermercadistas participantes estão: quebra operacional (28,6%), furto externo (18,2%), erro de inventário (14,8%), erro administrativo (8,9%), furto interno (8,3%), fornecedores (7,9%), entre outros. Em 2016, o faturamento bruto do setor alcançou R$ 338,7 bilhões, informou a entidade.

Ainda segundo informações da pesquisa, os artigos que mais sofreram perdas em quantidade, no ano passado foram: doces em geral (22,6%), bebidas alcoólicas e bebidas em geral (18,2%), perfumaria (11,9%), carnes (10,7%) e desodorantes (9,1%). Já em relação às atividades adotadas para a prevenção de perdas citadas pelos supermercadistas estão: treinamento para colaboradores, processos mais cuidadosos no recrutamento e seleção de profissionais, definições das metas de perdas, controles e planos de ações, e comunicação de prevenção de perdas.

O V Fórum de Prevenção de Perdas foi realizado no Centro de Eventos da Associação Catarinense de Medicina (ACM), em Florianópolis, atividade realizada em parceria com a Câmara Empresarial de Supermercados da Fecomércio/SC e apoio da Abras, Melitta e Roseflor.

O evento foi aberto pelo Presidente da Acats, Paulo Cesar Lopes e pelo Presidente da Câmara Empresarial de Supermercados da Fecomércio/SC, Adriano Manoel dos Santos. Após a apresentação do estudo da Abras, com Márcio Milan, também fizeram apresentações no evento o controler da rede Condor (PR), Éder Motin, o coordenador do Comitê de Prevenção de Perdas da Acats, Airton Said, o diretor da RTC Brasil, Romualdo Teixeira e o gerente de prevenção de perdas da rede Koch (SC), Alessandro Siebel.

Fonte: http://www.acats.com.br/acatsnovo/index.php/imprensa/arquivo-destaques/1581-cresce-o-foco-na-prevencao-de-perdas-nos-supermercados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *